Total de visualizações de página

Siga o blog por e-mail !

Basta colocar o endereço no espaço abaixo, aguardar uma mensagem de confirmação e pronto, receba atualizações do blog.

Receba as atualizações por e-mail.

Curta também a nossa página no Facebook

Boa Leitura!!!

Tenham uma boa leitura, deixem suas opiniões e Sejam bem vindos!

Quem sou eu

Minha foto
"Sou um jovem velho, que busca conhecer o mundo, e aprender a viver de forma intensa. Sonhador e devo dizer corajoso (tanto quanto teimoso), procuro descobrir por mim mesmo tudo que tenho vontade,e assim agregar cada vez mais conhecimento de vida. Sou o que sou à procura de mim mesmo. Em busca de respostas e de conhecimento. Sou imperfeito, porem feliz em minha essência."(2010) Ok... Sou um jovem velho...ja mais velho. Que ainda busca conhecer o mundo, mas que ja pôde ter umas experiencias sobre o mesmo. Ainda sonhador, porém agora mais realista do que antes. Teimoso sempre. Apaixonado pelo o ideal de fazer sempre o que nos sentimos bem, e que se tiver que ser doloroso que sirva de lição. (2016)

terça-feira, 4 de setembro de 2012

A Brisa - II parte Observador


Para que você que já leu A Brisa desvende mais um pouco com sua continuação.








Já havia se passado aproximadamente 40 minutos que estava ali parado, já não sabia o que fazer... Repentinamente algo começou a tomar forma meio as arvores. Ali bem na minha reta, impossibilitado de me mover só me restava olhar atentamente para ver até onde iria aquelas minhas alucinações. A brisa permanecia ali... aquela suavidade sádica... parecia que via em minha agonia um deleite. Um vulto surgia por de trás das arvores ... nada que fizesse sentido... ao menos não de imediato. O ar começou a mudar... ficou mais denso e enigmático. O estranho vulto começou a lembrar um homem... ou garoto. Parecia ser feito de... sombras. Agora já não restava duvidas, seja lá o que fosse tinha forma de um jovem. Ele ficou me observando daquela pequena distancia, então foi quando me dei conta de que ja podia me mover. Sentei, e cogitei a possibilidade de sair correndo daquele lugar. Entretanto já não sentia tanto medo e sim uma curiosidade enorme. Olhei ao meu redor e vi que o bosque estava cercado por uma forte neblina, que tornava impossível enxergar a rua.
Ele se aproximou... minha cabeça doeu... então desmaiei.

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

A Brisa


Todos os dias vou até o bosque próximo ao serviço após o almoço. Como de costume, aquele dia não foi diferente. Era um dia ensolarado, acompanhado de um leve brisa. O lugar era incrível... Aquele ambiente cheio de vida era de uma beleza sem palavras como poucos outros naquela cidade.
Normalmente costumava atravessar o bosque e me acomodar em uma mesma arvore que ficava bem no contorno, no entanto logo que entrei na área do bosque vi mais para dentro um arvore especifica que me chamou atenção por algum motivo. Ela já estava com papelões perto (comumente usados como "colchões" pelos trabalhadores da região que ali descansavam). Pois bem, olhei atentamente para aquele lugar que parecia me chamar... por fim seduzido por uma força misteriosa e invisível decidi ir ate la.

Logo que me acomodei aquela ate então leve brisa se tornou um forte vento que não durou mais que alguns segundos. Pensei que não fosse nada de mais. Não havia me dado conta de imediato, mas algo havia acontecido... algo havia mudado. Notei que a musica em meu fone havia cessado. Ainda sem entender retirei o celular do bolso para verificar se a bateria havia se esgotado ou qualquer outro possível motivo para aquilo ter acontecido. A musica no player continuava a tocar, retirei o fone pensando que estivesse com algum defeito. Nada. Os auto-falantes também permaneciam em silencio. Naquele momento senti que havia algo errado. Olhei para o céu e notei um avião passando acima do bosque. Até ai tudo bem, se não fosse o fato de não ouvir o som característico das turbinas. Me sentei e observei a rua que contornava o bosque. Os carros e motos continuavam a transitar, porem também não era possível ouvir som algum.