Total de visualizações de página

Siga o blog por e-mail !

Basta colocar o endereço no espaço abaixo, aguardar uma mensagem de confirmação e pronto, receba atualizações do blog.

Receba as atualizações por e-mail.

Curta também a nossa página no Facebook

Boa Leitura!!!

Tenham uma boa leitura, deixem suas opiniões e Sejam bem vindos!

Quem sou eu

Minha foto
"Sou um jovem velho, que busca conhecer o mundo, e aprender a viver de forma intensa. Sonhador e devo dizer corajoso (tanto quanto teimoso), procuro descobrir por mim mesmo tudo que tenho vontade,e assim agregar cada vez mais conhecimento de vida. Sou o que sou à procura de mim mesmo. Em busca de respostas e de conhecimento. Sou imperfeito, porem feliz em minha essência."(2010) Ok... Sou um jovem velho...ja mais velho. Que ainda busca conhecer o mundo, mas que ja pôde ter umas experiencias sobre o mesmo. Ainda sonhador, porém agora mais realista do que antes. Teimoso sempre. Apaixonado pelo o ideal de fazer sempre o que nos sentimos bem, e que se tiver que ser doloroso que sirva de lição. (2016)

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Tenho observado todos falando sobre como foi 2013, o que foi bom, ruim e que se arrepende disso ou daquilo... e por fim o que espera do novo ano que se aproxima...
Pois também como um apaixonado por escrever decidi registrar como foi o ano de 2013 para mim...
Eis que como tem sido meu dois ou trés últimos anos... 2013 foi também posso dizer... agitado...  Isso me lembra meu querido amigo Markus, que certa vez disse não se incomodar pelas nossas longas  conversas justamente porque sempre tinha novidades, um acontecimento novo...uma loucura nova em pauta :)
 ...Arrisco dizer que meu ano foi em sua maior parte ruim... entretanto, não posso dizer que me arrependo. Como sempre, tento (e sim sei que o quanto é difícil) não me arrepender, e sim tirar algum proveito, aprendizado de tudo que ocorre. Lamento pelos tempos difíceis... sim, afinal sou humano e só quem está sempre ao meu lado sabe que passei por maus bocados... Mas se arrepender? Para que? O tempo passa, o que foi decidido... alias depois de agido não se volta atrás, lamentar é normal... por um breve tempo, agora sentar e passar o resto da minha vida chorando por um atitude talvez um pouco equivocada? Jamais. Muitas lagrimas derramei, mais do que outras vezes, passei o primeiro semestre me sentindo totalmente perdido, frustrado e confuso... e o segundo semestre por boa parte a frustração persistiu e com outros acontecimentos que vieram juntou o sentimento de solidão e a saudade da família e amigos.
Dentre tudo que houve, uma vez mais provei para eu mesmo que tenho a honra de ter pessoas excelentes ao meu lado da qual espero um dia retribuir 10x mais tudo que fizeram, fazem e sei que farão se precisar novamente.
Meus olhos se abriram para novas realidades, e pude enxergar algumas falhas que de agora em diante farão toda diferença...e acredito que viver seja isso, é errar e aprender com o erro. Estar constatemente se fortalecendo, superando e aprendendo a seguir em frente.

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Lagrimas de gratidão...

"A amizade desenvolve a felicidade e reduz o sofrimento, duplicando a nossa alegria e dividindo a nossa dor. 
Joseph Addison "

 Em meio à um caos de pensamentos, angustia incessante e aquele sentimento aterrador de solidão extrema... eis que surge a tal da amizade... como dito por Joseph Addison o amigo é aquele que tem o dom de estar ao seu lado a todo momento...



...é simplesmente incrivel como o ser humano pode ser cruel... e ainda mais incrivel o quanto pode ser imprevisivel  e amavel. dentre uma multidao, surgem nas horas certas as pessoas certas que têm em sua simples (porem nao menos importante) atitude de ouvir o poder de acalmar um coração frustrado, uma mente esgotada...

As pessoas mostram o tamanho da bondade do coração humano quando você menos espera, e mostra para aquele que necessitam de uma luz de esperança, enxergar que não esta só como se imaginava... faz se afastar aquela sensação de que estamos sozinhos no meio da multidao...


Amigo. Amiga. Voces que mostram que não há porque se envergonhar em chorar, ou de se abrir... voces que dividem essa dor para que futuramente possam rir uma vez mais em conjunto... Voces que tem a habilidade de transformar lagrimas de sofrimento e dor em lagrimas de gratidão, carinho e alegria...

Dedico essas palavras a todos voces que sao amigos, que estao ao lado em todos os momentos , em especial Felipe Ferracini, Rosilene Chicareli, Marilda Nunes, Ediane Batista, Joyce e Markus Cezar.


R.Rocha


quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Desabafo do escritor...

Uma vez mais estou aqui altas horas da madrugada com lagrimas nos olhos e grande aperto no coração. Desde 2010 está já é se não me falha a memória a 6ª vez que passo por essa situação... numero na minha opinião alto demais para nem bem 3 anos.
Com quase 23 anos, em aproximadamente 2 anos e meio já me vi cinco vezes (agora uma vez mais) nesta situação angustiante, com esse sentimento enorme de frustração e nessa indecisão constante.
Entre a saída da casa do pais e o presente momento já foram seis empregos e oito moradias em apenas 30 meses!
A minha cabeça se enche de ponto de interrogações, de questionamentos quanto à como estaria se tivesse feito determinada escolha naquele determinado momento... Deitado a pouco, olhando para escuridão do quarto, fiquei pensando se não me faltou esforço enquanto estava no litoral, esforço para me adaptar, esforço para fazer com que tivesse dado certo...ao invés de encontrar argumentos que sustentasse minha insatisfação (ou talvez insegurança). Fico relembrando de Marília,nos dois momentos em que estive lá, podia ter dado certo? Talvez.Penso, e me espanto com a possível veracidade da ideia, que talvez Maringá de uma forma grosseira tenha sido algo mais negativo em minha vida do que eu tenha me dado conta. Tenho pensado que posso ter me deixado encantar rápido demais apenas pela primeira impressão de um mundo novo, de um lugar razoavelmente diferente do que o que eu crescerá.Tive sim excelentes momentos, outros um tanto ruim e com obstáculos talvez possíveis de terem sido evitados. Aprendi diversas lições de vida, desde o “se virar” sozinho, até dar valor a uma simples refeição. Conheci pessoas maravilhosas, encantadoras e todas cada uma em sua particularidade ficarão sem duvida alguma em minha memória. No entanto, talvez isso jamais valha coisas, ou pessoas que de alguma forma perdi ao fazer essa escolha.
Noite passada, atordoado por essa “Insônia de reflexões” recordei de um trabalho feito (acredito eu) no ultimo ano do colegial(2009), onde tratava de descrever como nos víamos daqui  5 anos. Pois bem. Nesse instante me dei conta que já se passam quase 5 anos, e para minha infelicidade concluo que não fiz quase (se não nada) do que eu naquele ano pensava ser capaz de conquistar. Frustrante. Nunca senti tão nitidamente o significado desta palavra como tenho sentido (e entendido) ultimamente.E agora continuo a me questionar... o que fazer agora?
R.Rocha  

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Duas faces: uma mesma moeda.

Ser falho...quem não é.... magoar alguém? Quem nunca?!
Mudar o mundo? Decidi não perder mais o meu tempo, descobri que preciso mudar a mim mesmo, e que isso já será (se obter êxito) mais do que uma conquista.
Me deixo levar pelos sentimentos, pela necessidade de ser compreendido. Minha insistente compulsão por ser transparente s me causa arrependimento e magoa. O ser humano não quer ser pressionado, nem ter seu conceito criticado.
Boas intenções? ... o inferno já está cheio como já diz o ditado popular. A realidade é que não nascemos para ouvir a palavra “NÃO” já me dizia um professor em certo momento da minha vida. Hoje mais uma vez vi que preciso “consertar” minha identidade, e aprender que o mundo é um palco, e que nessa peça infelizmente as vezes é necessário o uso de mascaras.

Aprender que uma mesma moeda, possui duas faces.

R.Rocha

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Indignação

Angustia.
É com essa palavra que inicio mais um texto. Mais uma vez com esse sentimento que tento organizar minhas ideias e indignações que assolam meu cotidiano.É com essa sensação esmagadora de incapacidade que registro aqui minhas indagações... que registro o lento e doloroso desaparecer das minhas esperanças...





Esperança.
Palavra forte, importante para todos.... me questiono se tenha a capacidade, ou melhor se simplesmente ainda à possuo em meu ser. Se ainda me resta uma centelha dessa crença infindável de que tudo pode melhorar.
Cotidiano?
Cotidiano só tem esfregado na minha face da forma mais escancarada e agonizante o quanto as pessoas podem ser perigosas para si mesmas.Vejo ao meu redor o poder que cada um tem de se autodestruir, de findar seus sonhos antes mesmo de terem a mínima chance de alcançarem a vida real.

sábado, 31 de agosto de 2013

♙ ♟ E você, que peça deseja se tornar? ♙ ♟

           
     Hoje em determinado momento no meu curso, uma professora disse que nós como funcionários somos meros peões. De imediato associei tal comentário com o '♙ ' propriamente dito do jogo de xadrez. Como já disse em outra ocasião, o xadrez é para mim o jogo da vida onde todo lance que demos, todo passo que caminhamos será de extrema importância para a decisão do jogo. 
               Voltando à comparação com o 'peão', logo comecei (enquanto a professora prosseguia com a explicação da disciplina) a uma vez mais imaginar o quão o xadrez se parece com nossas vidas. Afinal, no xadrez, o peão é por uma grande (e leiga diga-se de passagem) a peça mais fraca, entretanto aqueles que procurarem entender um pouco mais esse maravilhoso jogo de estratégia, percebera no final que o peão é tão indispensável quanto as demais peças.
                  É nesse pensar, que chego na ideia de que considerando que sejamos 'peões', no trabalho ou sociedade como um todo, podemos ser o que quisermos, alias a peça que quisermos. Voltando a falar do xadrez, existe o que é chamado de promoção do peão, que nada mais é que quando alcança a fileira adversaria ele é substituído por qualquer outra peça. Sendo assim, nesse sentido, somos mesmo como peões, de inicio rotulados como fracos e de pouco valor.

sábado, 17 de agosto de 2013

Falando de Amor



"Quando te conheci foi tão especial, cada momento, até o luar ajudou, encontrei ali um homem-adolescente, que em meio de tantas indecisões tinha um olhar maravilhoso o mais lindo que eu tinha visto...
Aconteceu de uma forma sem explicação, por obra do destino. Um rebelde ao mesmo tempo carente, amoroso, porem receoso. Com o passar dos dias,meses, foi mudando por si mesmo. Se tornou uma pessoa capaz de me completar, me deu os melhores momentos, noites e dias... Dias chuvoso, ensolarados,frios não importava a estação, mas sim o conforto, o carinho e o amor que ali encontrava."

Autor anonimo
Leia também:


Contando as Horas sem certeza

608 Dias sem você


sexta-feira, 28 de junho de 2013

608 Dias sem você...


Um dia dois amantes se conheceram por uma rapida conversa. Marcaram um encontro que de romântico não teve nada. Após uma caminhada exaustiva enfim pararam para tentar aproveitar os minutos que restavam antes de um ter que partir.



Em um curto intervalo muito ocorreu... mas jamais imaginariam que ali começava uma historia digna de ser contada pelos maiores poetas que já existiram. Porem, após um tempo juntos, um precisou escolher entre dois caminhos, no qual um deles seria para seguir sozinho.
Faz um ano e oito meses desde que essa escolha foi feita... Cinco  dias foi o tempo que teve para a escolha mais difícil até hoje em sua vida... A saudade é grande, o sentimento é forte... 608 dias sem você.... um tempo que não voltará....
Me pergunto diariamente

domingo, 23 de junho de 2013

Contando as Horas para te reencontrar

Para quem já leu postado a pouco mais de 2 anos Contando as Horas  a pouco mais de 2 anos, esse texto é de certa forma uma continuação... espero que gostem.
R. Roch@

   Respiro fundo e tento manter a calma

Hora após hora...
Espero receber alguma noticia sua...
 Esperança que insiste em permanecer...
Não suporto viver sem você ao meu lado.


Não aguento não ter você comigo em minha cama...
Abraçados e em silêncio
Relembro de nossas noites juntnos...
Não consigo acreditar que não te vejo mais
Ignoro a realidade, e me iludo com lembranças
Quero continuar acreditando que não acabou
Um dia ainda vamos no reencontrar
E quando chegar esse dia, jamais nos separar.



POR FAVOR NÃO DEIXEM DE VOTAR, SUA OPINIÃO É MUITO IMPORTANTE ^^

sexta-feira, 14 de junho de 2013

Entre Cobras e Borboletas






Quantas vezes em algum ambiente de nossas vidas nos deparamos com pessoas que nos faziam se sentir sobrepujados ... que nos faziam duvidar de nossa capacidade... Nos vemos de forma frágil e indefesa... alvo fácil para algo ou alguém mais forte...  E em muitas vezes nos damos por derrotados.
Como uma cobra e uma borboleta... devemos analisar o fato de que ambos são importantes.  Tais como as borboletas que passam por uma transformação até ficarem em sua forma mais bela, devemos crescer e sempre evoluir. Encontraremos muitas pessoas que querem viver em seu “casulo” apenas por medo de enfrentar o desconhecido, ou por não terem coragem de encararem as “cobras” da sociedade. Entretanto, devemos aprender a ter um olhar critico de tudo ao nosso redor, e ao invés de apenas lamentar, extrair o Maximo de positividade. E lembrar que ate as cobras podem em sua fase de ecdise (troca de pele) largar aquilo de negativo e mudar para algo melhor. E assim é nossa vida... uma eterna mudança, onde se aprendermos a deixar o que nos enfraquece de lado e agregar apenas aquilo que existe de bom seremos pessoas melhores e satisfeitas.

R.Rocha

Dedicado a Irene Inácio que certa vez me disse: 
“... entre cobras e borboletas, mas nunca desprezo nenhuma delas. Sempre aprendemos algo seja pelo bem ou pelo mal. Colha sempre frutos saudáveis e os frutos doentes tente curá-lo. “




POR FAVOR NÃO DEIXEM DE VOTAR, SUA OPINIÃO É MUITO IMPORTANTE ^^

quarta-feira, 13 de março de 2013

Abraço de Lágrimas


      "  Acordo logo pela manha, escovo os dentes e lavo meu rosto. Saio e me deparo com o sol majestoso, o canto dos pássaros e a brisa suave que parece acariciar minha pele. Organizo meus pertences e me arrumo para sair. Sigo de forma sorrateira até o portão de forma que os demais não notem que já despertei. De forma que eu não precise dar satisfação do meu destino.
       Caminho olhando o céu, admirando as nuvens e penso em todas aquelas pessoas que passam ao meu redor. Todos aquelas vidas que caminham alheias ao que ocorre tão próximo. Fico imaginando se elas ao menos um instante param para reparar na beleza que é a natureza. Se ao menos observam o quão belo é o mundo.
Todos os dias somos quase que obrigados a ver noticias de morte, tristeza e todo tipo de calamidade. Assim nos colocamos em uma espécie de “bolha” onde nos isolamos e só enxergamos aquilo que nos parece interessante.
       Volto a observar a natureza ao invés de ficar pensando na triste ignorância da maioria. Prossigo caminhando, agora em passos largos, tal a vontade de chegar logo...

Espirito Tempestuoso


"Me sinto um “nada”... um verdadeiro “zero a esquerda”...
Não sei o que se passa La fora, estou sendo excluído como se minha presença aqui nem existisse.
Tenho receio do que posso encontrar ao atravessar essa porta... medo de ter a certeza de que estou sendo ignorado... talvez de forma mais dolorosa que possa imaginar...
Aqui entre essas paredes negras, imagino o quão inútil posso ser...ou já sou.
Me encontro de mãos atadas... ao menos não consigo pensar em nada que possa fazer de ajuda...
Colocado de uma vez por todas no esquecimento.
A tensão aumenta e o dia já nasce La fora.
A porta continua intocada.
Nenhuma informação La “de fora”... nenhuma preocupação com quem esta aqui dentro.
Repentinamente ouço risos.
O sinal que comprava o fardo da solidão.
As vozes continuam...
Já são quase oito da manha.
A porta se abre afinal.
Propostas inúteis...